terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Cegos ouvem, surdos falam, mudos veem, e a vida continua...

Na tentativa de ser e se fazer entender sobre vários aspectos do nosso cotidiano, sempre nos depararemos com os confrontos, ou seja, sempre haverá o embate entre um e outro assunto, onde as convergências e divergências saltarão em defesa de nossas "verdades absolutas" e nossos princípios e convicções "inequívocas".
Tudo isso faz parte - assim penso eu - do processo de crescimento do ser humano, da adaptação ao desconhecido e do "sombrio" futuro que se projeta diante da jornada da vida. Se assim pensarmos, podemos concordar que essa jornada a qual me refiro, segue em direção a alguma coisa chamada "imprevisível", que na verdade pode ter vários sinônimos adaptados a esse termo. No que diz respeito ao futuro, todos podem (se assim quiserem) concordar, que ele de fato nos assusta.

Digo isso porque não é de hoje que nosso presente é de certa forma o reflexo do nosso passado, e a produção desenfreada e projetada no que há de vir, porém não posso negar que o passado nos é de muita valia, com base nas muitas conquistas que os nossos antepassados obtiveram com muito esforço e dedicação.

Nessa pequena análise, chego a uma conclusão que somos uma nova "torre de babel" da pós-modernidade, buscando um ponto de contato para sobrevivência desse novo mundo, cheio de labirintos, enigmas e muitas incertezas, onde os valores e conceitos são invertidos em uma alta velocidade, para onde estamos indo, como iremos chegar, vai depender d0 resultado de nossas escolhas...

"As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei..." Deut. 29:29


PS.: "...porém, eu só quero ter o direito de não ter minhas palavras e idéias deturpadas" (já diria a nobre Amanda :) )