sexta-feira, 26 de junho de 2009

SEDE

" É a primeira vez que eu nao entendo nada, mas compreendo tudo. Toda ou quase toda minha familia é cristã. Eu creio... Na verdade eu sinto Deus. Mas nao o quero por interesses. Não frequento igreja. Na verdade nao curto dizer amém sem saber o significado dessa palavra. Não posso dizer pelos outros, mas hoje vou pra casa contrariado e feliz por isso. Sinto q pela primeira vez posso falar horizontalmente com cristãos. Desculpe o cheiro de alcool. Fiquem na paz. Forte abraço."
Alma, 26 de julho de 2009

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Hábito

“A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela: é preciso fazê-lo descer a escada, degrau por degrau.”
Mark Twain


segunda-feira, 15 de junho de 2009

Do Alto da Pedra

♫ Do Alto Da Pedra ( Rosa de Saron) ♪

Encontro e sinto
Você é tudo o que sonhei
Não posso me conter
E mais que tudo eu quero ir
Uma vez que faz-me sentir alguém
É pra todo sempre
Não quero minha vida igual a tudo que se vê...

Em Você eu sei, me sinto forte
Com Você não temo a minha sorte
E eu sei que isso veio de Você

Do alto da pedra
Eu busco impulso pra saltar
Mais alto que antes
Bem mais que tudo eu quero ir
Uma vez que faz-me sentir alguém
É pra todo sempre, não quero minha vida
Igual a tudo que se vê...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Saudades de Mim ...



Hoje acordei com saudade, e percebi que saudade realmente é aquilo que sou e sinto quando estou diante do objeto da minha saudade, e por pensar assim hoje senti saudades de mim..

Alex Possati (reflexão)

terça-feira, 9 de junho de 2009

VOLIÇÃO


" Não haverá abismo quando tivermos capacidade de construir pontes, só não existirá ponte se perdermos a capacidade de contrução, só não haverá travessia se perdermos a vontade de chegar do outro lado, ainda que haja riscos, neste caso tudo depende da VOLIÇÃO.."
Alex Possati (reflexão)

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Tragédias...


O que nos faz querer encontrar culpados diante de mais uma tragédia? de onde vem nossos questionamentos a respeito de tais catastrofes? De uma certa forma sempre vamos querer humanamente obter explicações cabíveis ao nosso intelecto pra esses assuntos.

Tenho acompanhado o noticiário, jornais e tablóides que se alimentam desses assuntos, é claro que importantes nos materem iformados, mas em meio a essas informações desencontradas voltamos a nos encontrar com os seres humanos... sim, os seres humanos que sempre querem explicações para tudo... e pra variar, sempre cai na conta de Deus...

"Graças a Deus eu nao embarquei nesse voo, foi um livramento pra mim.. agradeço a Deus por ter me livrado", dizia um rapaz que cancelou o voo.. do outro lado, famíias inconformadas com seu sonhos enterrados, sepultados no atlântico e perguntado, por quê Deus? por que o Senhor permitiu isso? logo com minha família...

Assim, fica para nós idivíduos a percepção de humanidade que uma notícia dessas trás para nós.. se formos analisar, existem tragédias sociais muito pióres que a da queda do avião da Air France, sim... mortes diárias acontecendo, abandono, miséria, fome, descaso , guerras... e os números são muito maiores do que 228 que tiveram morte subta nesse trágico voo 447.

Um avião cai..Deus é mal e joga contra a humanidade, milhares de mulheres trazem à lúz novos filhos e filhas.. Deus é bom ! Passei no concurso público... Deus é bom... fui reprovado na auto escola... Deus é mal! Por fim, sempre queremos dar forma humana a Deus, afinal Ele conhece muito bem tudo isso que acontece... a questão é que dificilmente admitiremos que não temos explicações para tudo, ou para quase nada...

Nesse abismo de complexidades e dúvidas, cabe o bom senso de ao menos aceitar que aviões vão continuar a cair, pessoas vão continuar a nascer... Deus continuará sendo Deus para os que creem, e a vida continuará a trazer seu cuidados e efeitos...

A nós humanos, cabe a comunhão e a união de sentimentos de afeto e amor as famílias que perdem seus amandos ... torcemos para que as feridas sarem, ainda que as cicatrizes da tragédia perpetuem.. um dia quem sabe poderemos fazer tais perguntas face a face com o Criador , se sobrar coragem diante do imensurável...

E é bom lembrar que... " nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou no coração do homem, aquilo que Deus tem preparado para aqueles que o amam..."

FÉ...

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Felicidade ...


É o que sinto ao chegar em casa e receber um sorriso do João, sim é aquela cara sapeca com a boca faltando alguns dentinhos que ainda estão por vir... é graça... pura e singela graça... que emana do sorriso de meu filho e entra na minha alma trazendo gozo, paz, alegria e satisfação... isso é felicidade.


A sua cura é o outro . . .


Os caminhos do coração humanos são indecifráveis...
Você vê gente sofrendo de tudo, e vivendo como se tudo fosse normal. Você, por outro lado, vê gente sofrendo de nada como se sofresse de tudo...
Na realidade, cada vez mais, minha experiência vai mostrando que não há escolas psicológicas capazes de atender a cada alma humana.
De fato, cada alma demanda uma psicologia pessoal e particular...
Não dá pra dizer que Freud explica quase nada...
Freud explica a si mesmo..., e olhe lá...
Sua Psicanálise é auto-analise, por mais “cientifico” que ele pretendesse ser, posto que por mais isento que fosse, a “ciência” que ele praticava só poderia ser verificada a partir dele mesmo, não apenas de sua interpretação, mas de sua própria/particular/existencial experiência psicológica.
Há pessoas que me procuram com crises de contornos “freudianos”. Para tais pessoas Freud parece funcionar bem... Outras, porém, nada têm a ver com o que o Freud pressupôs houvesse em todo homem, sem que haja...
Nesses casos, tateio até ver a “porta de entrada” da pessoa, e, frequentemente, verifico que tal “entrada” não existe nas matrizes das linhas psicológicas clássicas ou pedagógicas, e, portanto, demanda uma psicologia singular, tecida entre você e a pessoa, até que o sistema esteja mais ou menos visível e, portanto, discernível.
Em outras palavras: tem que ser como Jesus praticava...
A “psicologia” de Jesus era simples e se servia das metáforas que as pessoas traziam ou compreendiam. Tudo, porém, tinha ver com “aquela” pessoa, e não com uma matriz psicológica universal.
Assim, com Jesus não há padrões... O padrão é o individuo...
Desse modo, cada pessoa demanda uma psicologia singular, por mais que os modelos psicológicos possam ajudar aqui e ali. No entanto, depender exclusivamente deles é pura tolice...
O modelo de Paulo, a confrontação, é o que vejo que melhor ajuda as pessoas, pois, de fato, trata-se de um método não metódico, é que busca discernir a essência da questão, e trata dela cara a cara, sem medo de afirmar, de indagar, de sugerir, de provocar, de perturbar mesmo... — até que a verdade vá aparecendo, e, assim, a pessoa vá se enxergando e tomando as decisões práticas quanto a debelar o vício do sintoma como mal a ser tratado como causa... sem que o seja.
Os pudores psicológicos atrasam em demasia a cura das pessoas...
Vejo pessoas oito, dez, doze anos em um terapeuta, ruminando os mesmos bagaços, pagando caro para serem ouvidos sem que isto deslinde qualquer coisa em seus interiores, até que chegue o dia da verdade...
Então, sem pudor, atendo a tais pessoas; algumas já sabem tudo de tudo, até mais que a maioria dos psicólogos, de tão profissionais como clientes que vieram a se tornar...
A surpresa para elas é que o que durara anos, por vezes em uma, duas, três semanas, ou em poucos meses, cede...; e, então, começa a abrir o espaço interior para que, pela via da confrontação, a pessoa comece a parar de chocar seus quase/dramas; e, assim, sem pena de si mesmo, sem transferências de nada para ninguém, sem auto-piedade ou auto-comiseração, o individuo comece a reagir; e, em não muito tempo, comece a ficar perplexo com os resultados...; sem saber a razão de não ter que ser um processo necessariamente tão longo e demorado no atingimento dos desejados resultados...
Na realidade o que a maioria das pessoas necessita é do encaramento na e da verdade!
Noto o despreparo brutal da maioria dos chamados profissionais de Psicologia. Alguns nada dizem apenas porque não têm mesmo o que dizer... Outros gostam da lentidão... Ela é lucrativa... Há ainda os que são tão doentes que fazem psicologia para se distraírem de si mesmos ouvindo os outros... Mas poucos há com consciência do que seja a ajuda que as pessoas precisam...
Ora... isto sem falar naqueles que são pagos apenas para consentirem com o devaneio do individuo...
São os Psicólogos do “vamos que vamos”...
Sim, você o paga apenas para que ele diga que você tem razão em soltar todas as frangas e todos os bichos do seu zoológico particular...
No meio disso tudo, há alguns profissionais da psicologia que são de fato muito bons, embora poucos.
O que me ressinto mesmo é do fato que se houvesse entendimento do Evangelho, e amor e limpidez de propósitos, todo verdadeiro pastor de almas naturalmente seria um psicólogo.
Mas quase não há tal coisa... A maioria dos pastores está tão perdida que nem mesmo dá conta de sua própria alma, quanto mais da dos outros!...
A receita de cura de Isaías é simples [cap.58]: liberte os oprimidos, quebre cadeias nos outros, franqueia a vida ao próximo, não fuja dele; e mais que isto: abra a sua própria alma com o aflito [deslocando o foco do “si-mesmo” para o outro] — pois, então, se diz: A tua cura brotará sem detença!...
A melhor terapia desta vida sempre será o serviço em amor!
Quem se esquece de si e arranja olhos para a vida, em geral ficará curado enquanto limpa feridas e cuida de angustias alheias...
Aquele, porém, que apenas cuida de si mesmo, de suas supostas dores, e concentra-se exclusivamente em sua angustia como elemento pivotal da existência universal, esse pode contratar o melhor psicólogo para que lhe ande a tira-colo, pois, ainda assim, jamais ficará curado...
Ninguém sabe em que espírito o Samaritano vinha sem seu caminho... Entretanto, pouco importa se ele vinha cantando, alegre, feliz e grato, ou se vinha sofrendo, angustiado e infeliz... Sim, o que importa é que ele olhou para o outro, o outro pior do que ele, o outro sem autodeterminação, caído no caminho... E mais: fez isso sem que importasse quem ele ou o outro fossem um para o outro...
Sem que fosse significativo como o Samaritano estivesse se sentindo, o que valeu foi o ato, foi o feito, foi a parada e o levantar do homem...
Sim, o importante não era a subjetividade, mas a objetividade da decisão...
Digo isto hoje porque vejo que muitos dos que me escrevem jamais ficarão curados enquanto não se esquecerem de si mesmos, e, enquanto não transformarem sua auto-vitimização em ação pró-ativa em favor da vida...
Pense nisto; e pare de lamber adoecidamente as suas próprias feridas...

Nele, que nos cura pela verdade e pela prática do amor voltado para aquele que vemos..., e que carece de graça e cuidado,

Caio
28 de maio de 2009