terça-feira, 25 de maio de 2010

Depois de todo Domingo...


E se todos os dias fossem domingo? onde tudo é bom e perfeito, onde se há tanta satisfação de estar feliz e confortável, onde as coisas podem ser como são , onde tudo flui com prazer ... onde se mata saldade com presença, onde o tempo não passa e o prazer não se esgota. Se todos os dias fossem domingo, a exaustão daria cada vez mais lugar ao vigor de estar, a insanidade e ao delírio de descobrir que domingos não acabam, onde o tempo contribui com o cronos, onde posso ser eu de várias formas, e é o que todos nós desejamos o tempo todo, domingos.

A realidade é que domingos não duram para sempre, e depois de todo domingo haverá uma segunda-feira diante de nós, que sempre trará consigo suas sombras, medos e incertezas... e tudo isso acontece na nossa cabeça, porque os dias na verdade são sujbetivações de um calendário programado no espaço e no tempo, e a realidade é que teremos sempre, querendo ou não, um dia de domingo seguido de uma segunda-feira, sempre!

Alex Possati (Reflexão)

sábado, 15 de maio de 2010

A vida é novidade de vida !

Nada é igual a nada, nada se compara com nada, tudo é novo o tempo todo nessa criação evolutiva, morte e vida nessa simbiose, estatísticas são erros porque não existe precisão em nada, nossas lembranças são meros espaços do que realmente já foi, e o que foi não será mais e não volta, o que tá diante dos nossos olhos já não é mais a mesma coisa, porque em fração de milésimos de segundo tudo mudou e o que vemos e ouvimos já não é, e enquanto digito esse texto morrem milhões de células em meu corpo e eu não sou mais eu de segundos atrás, e o mesmo acontece enquanto você está lendo, e ao final da leitura você nao será mais o mesmo do início,é como contemplar o briho das estrelas mortas, que já não estão mais lá, é só lembrança do que foi, portanto isso é morte/vida o tempo inteiro, é sentimento progressivo que força buscar no passado o que já não é , são pequenas mortes diante da vida, é sentir empiricamente o que é sem sentido, por isso nos relacionamos com o novo o tempo todo, eu posso dizer eu te amo várias vezes por vários momentos e isso não é repetir, é apenas amar cada momento que é único e que não volta, porque amamos o novo o tempo inteiro, é o velho/novo que se renova diante do processo que não para jamais. Assim eu penso, assim eu sinto, assim é que acordei as 4h da madrugada e percebi que não era o mesmo que dormiu ás 23h, é tudo novo novamente até o apagar das luzes.

Alex Possati (reflexão)

domingo, 9 de maio de 2010

Valeu A Pena !


Se meus joelhos
Não doessem mais
Diante de um bom motivo
Que me traga fé
Que me traga fé...

Se por alguns
Segundos eu observar
E só observar
A isca e o anzol
A isca e o anzol
A isca e o anzol
A isca e o anzol...

Ainda assim estarei
Pronto pra comemorar
Se eu me tornar
Menos faminto
E curioso
Curioso...

O mar escuro
Trará o medo
Lado a lado
Com os corais
Mais coloridos...

Valeu a pena
Êh! Êh!
Valeu a pena
Êh! Êh!
Sou pescador de ilusões...(2x)

Se eu ousar catar
Na superfície
De qualquer manhã
As palavras
De um livro
Sem final! Sem final!
Sem final! Sem final!
Final...

Valeu a pena
Êh! Êh!
Valeu a pena
Êh! Êh!
Sou pescador de ilusões...(2x)

Valeu a pena!...

Pescador de Ilusões (Rappa)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Poesia e Metáfora

"Não se brinca com as metáforas. O amor pode nascer de uma simples metáfora."

(Millan Kundera)





segunda-feira, 3 de maio de 2010

Tu és o Glorioso !!!

A CONSAGRAÇÃO DO CAMPEÃO CARIOCA DE 2010