sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Pra Sobreviver...

No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança
No novo tempo, apesar dos castigos
De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo
apesar dos perigos
A gente se encontra
cantando na praça
fazendo pirraça
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver
Pra sobreviver, num novo tempo...

(Ivan Lins)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Co-Respondência


"Não é Deus que não nos responde, somos nós que não co-respondemos a ELE..."


Alex Possati ( Reflexão )

domingo, 21 de novembro de 2010

MOMENTOS



" A vida imita a arte, e por sua vez, a arte reproduz a VIDA "
Alex Possati ( Reflexão )

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Nossa Devoção

"Nossa devoção vem da necessidade habitual de se curvar diante do imensurável, do inatingível, do inalcançável e inacessível espaço que transcende a nossa capacidade de percepção. As vezes chamamos isso de Céu, ou para muitos apenas fulga da realidade..."
Alex Possati ( Reflexão )

sábado, 13 de novembro de 2010

Gandhi Por Um Real

Já faz algum tempo que tento encontrar a Biografia de Gandhi pra ler, ontem pela tarde enquanto caminhava no calçadão de Bangu me deparei com aqueles quiosques de livros que ficam a venda alí, parei pra pra ver se havia alguma coisa interessante, os olhos passavam por várias e várias obras e títulos dos mais variados temas e assuntos. Quando lembrei-me de peguntar se havia alguma Biografia e especificamente pela de Gandhi, de pronto alí estava, pelo valor extraordinário de cem centavos, é isso mesmo, 1 Real pra você nao precisar fazer a conta. Volto pra casa satisfeito pela aquisição do meu novo bem, e já nas primeiras páginas mergulho no pensamento abaixo.

"Quando, em janeiro de 1948, correu pelo mundo a notícia do assassinato de Mahatma Gandhi, estremeceu de dor e simpatia a humanidade toda, do oriente ao ocidente. Houve um luto mundial, sem destinção de raças, classes ou credos. Porque? Porque um homem de quase 80 anos deixaria de existir sobre a fae da terra - um homenzinho feio, semi-nú, que nao deixara nada afora uma tanga, uns óculos, uma caneta tinteiro, um primitivo relógio de algibeira e um par de sandálias..."

E o mundo de hoje ainda não compreendeu a verdadeira grandeza de Gandhi

Alex Possati ( Reflexões )

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Bem-Mal

Poderia o mal me causar bem? de maneira que eu possa me sentir bem ao invés de estar mal? na verdade o que está diante de mim não pode ser visto dessa forma, o bem-mal na verdade é a sombra do que um dia foi bom em detrimento ao que se tornou ruim, apenas como percepção, de maneira que posso nominar coisas boas que se tornaram más apenas pelas circunstâncias adversas do trajeto, no entanto, sua essência não deixou de ser boa, no sentido mais pleno que se possa sentir e de uma alegria contida, pelo que não posso duvidar do que minha humanidade é capaz de perceber em mim mesmo.

Alex Possati ( Reflexão )

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

No Ângulo

"Foto do meu celular, no momento em que eu e João pela manhã, batíamos uma bolinha na praça..."

"Quando as imagens se tornam turvas pelas circunstâncias do caminho, a vida te proporciona ângulos inimagináveis, basta mudar o olhar. Mas pra isso acontecer as vezes será preciso descer e diminuir para que se alcance o melhor ângulo e a exata dimensão da virtude"

Alex Possati (Reflexão)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

FINADOS

"É a pior morte, a do amor. Porque a morte de uma pessoa é o fim estabilizado, é o retorno para o nada, uma definição que ninguém questiona. A morte de um amor, ao contrário, é viva. O rompimento mantém todos respirando: eu, você, a dor, a saudade, a mágoa, o desprezo - tudo segue. E ao mesmo tempo não existe mais o que existia antes. "
(Martha Medeiros)