quarta-feira, 28 de novembro de 2012

NATAL NA CINELÂNDIA 2012



Em 2007 era apenas um desafio, um sonho a ser compartilhado, cheio de expectativas e idéias para por em prática, e assim foi, começamos o que é hoje o nosso motivo de orgulho, colocamos o sonho em prática. Agora, poucos anos depois, já iremos para o nosso 6º ano de Natal na Cinelândia e temos a mesma motivação e inspiração de quando começamos, SER FAMÍLIA DE ALGUÉM NA NOITE DE NATAL.

Com uma Ceia
 de Natal digna de qualquer família e com voluntariedade, ali dividimos experiências, compartilhamos histórias, desenvolvemos comunhão e celebramos o Natal com a proposta de ao menos uma noite, ser família, dar ouvidos, participar do extremo diante do caos social de toda grande cidade.

Se você deseja participar conosco, seja um voluntário, junte-se a nós no dia 24 de dezembro, à partir das 21h na Praça da Cinelândia, centro do Rio, para que juntos possamos celebrar o Natal juntamente com aqueles que por muitos motivos, justificáveis ou não, estão a margem da sociedade, aceite esse desafio e veja o quanto isso poderá mudar sua concepção sobre os nossos valores e prioridades do dia a dia.

Exerça nesse Natal solidariedade e cidadania, somado a valores e conceitos para contruirmos juntos um momento de paz e comunhão com o nosso próximo.

Feliz Natal, Cinelândia 2012

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Homens Torneiras

Somos como uma torneira com defeito, enquanto esta desperdiça água, desperdiçamos vida o tempo inteiro. 
Alex Possati (reflexão)

segunda-feira, 30 de julho de 2012

EXPECTATIVA

Minhas expectativas em relação ao outro me fazem cobrar dele o que eu desejo, não o que o outro até poderia dar, mas o que me falta por vez, isso acontece em todas as relações, amizade, relacionamento, convívios ou encontros casuais. Dentre esses sentimentos que nos norteiam e medem nossas demandas emocionais e relacionais, a expectativa é um tipo de ansiedade disfarçada ou uma carência mórbida por uma atenção a mais ou uma dose de afeto que falta em nossas receitas diárias. O correto seria não criar expectativas, para que sejamos cada vez mais equilibrados em nossos relacionamentos.

Alex Possati ( reflexão ) 

domingo, 24 de junho de 2012

AUTO CONFESSIONÁRIO

Falas tu de mim, que eu escuto com meus próprios ouvidos o que tenho a me dizer sobre meu eu outro, sem acrescentar ou tirar nada, para que de mim não falte nada do que eu tenha a declarar sobre esse meu eu, que dialoga comigo enquanto estou sentado diante de mim e que comigo desfruta dessa dualidade de auto contemplação de sí , que alguns chamam de introspectiva e eu, de meu confessionário"

Alex Possati ( Reflexão)

domingo, 17 de junho de 2012

Quanto Tanto Temo


Quanto tempo gasto com pessoas que não valeram a pena, tanto gasto com coisas que não valiam nada, temo se haverá tempo ou não de recuperar o tanto de tempo que perdi nesse tempo, quando fui dar uma volta fora de mim. 

Alex Possati (Reflexão)

sábado, 28 de abril de 2012

A VIDA É ENCONTRO


Ao longo do caminho você irá perceber que algumas pessoas ficarão para trás, mas não se culpe por isso, pois lá na frente você também irá percebe que para trás era exatamente aonde você estava. Mas se a distância aumentar e você não conseguir mais encontrar ou enxergar ninguém por perto, tome cuidado, você pode estar parado enquanto a vida acontece, ou provavelmente você esteja indo na direção errada, pois pra vida ter sentido tem que passar pela experiência dos encontros.

Alex Possati (Reflexão)

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Abraçando O Mundo No Próximo



‎"Eu não pretendo abraçar o mundo, mas os que no mundo habitam e carecem de abraço, certamente sim"  A.P

Alguns dizem que é uma atitude terapêutica, outros dizem que é carência, outros simplestemente veem o abraço como um gesto simples de pura empatia, que nesse ponto é o que mais estou de acordo. Seja qual for a definição, impossível é não haver troca no abraço, e  caso você não consiga dar esse passo em direção ao próximo, faça então como o sábio Falcão (  O futuro da Humanidade - Livro ) que nos desafia a abraçar ao menos um árvore, até ali exite troca.

Um abraço.

Alex Possati (reflexão)



segunda-feira, 2 de abril de 2012

Um Deus, Um Salmo e Dois Nomes


Hoje pela manhã, ao olhar Luiza e João Guilherme dormindo com toda serenidade e mansidão que qualquer criança transpassa em seu sono, refleti sobre seus nomes e as escolhas feitas sobre eles. A sensação que tive é que não haveria outro nome que combinasse tanto com eles, ou seja, a impressão é que eles já existiam antes de "ser", sendo mais claro, João Guilherme e Luiza já existiam antes de existirem, portanto ao contemplar a identificação do nome com suas personalidades fui levado imediatamente ao verdadeiro sentido do salmo 139.

Ali no salmo, Deus demonstra total soberania sobre tudo e todos, e de uma forma introspectiva nos remete a pensar em como ele já sabia de nossa existência. Foi nesse paralelo que cheguei próximo do entendimento do salmo, João e Luiza já existiam de uma forma tão intensa antes de mim que nao haveria outra identidade que eu pudesse criar ou associar a seus nomes em completude com suas personalidades.

Pude então entender, mesmo que de uma forma rasa, que Deus realmente nos conhece antes de existirmos, que no seu livro todos os nossos dias ja estão escritos, e que de uma forma assombrosamente inimaginavel ele nos formou no ventre de nossa mãe e ja sabia de todos os nossos dias.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A ANTIGA ARTE DO MAL


Ao que me parce, o mal já se tornou arte, principalmente quando me deparo com notícias como essa essa de hoje, emborar retroativa na sua barbárie, e que reproduz em nós um sentimento de voltar ao passado e reviver mais uma vez uma situação digna de ser refletida por cada ser humano, digo, humano.

Essa é a arte do mal, transformada em painés da mídia, como descrita pelos filósofos abaixo e estampada da melhor forma em mais um caso de maldade racional em Brasília e em Pernambuco. veja:(http://glo.bo/w8D6d7) e http://glo.bo/y9pF5E

Simplificando: Um morador de rua anônimo e um Ícone do cristianismo no Brasil ( o Bispo Robinson Cavalcanti)

O que dizem os Filósofos:

"Em Plotino, a matéria é identificada com o mal e com a privação de toda forma de inteligibilidade.
Em Kant, o ser humano teria uma propensão para o mal, apesar de ter uma disposição original para o bem.

Hannah Arendt retoma a questão do mal radical kantiano, politizando-o. Analisa o mal quando este atinge grupos sociais ou o próprio Estado. Segundo a autora, o mal não é uma categoria ontológica, não é natureza, nem metafísica.

É político e histórico: é produzido por homens e se manifesta apenas onde encontra espaço institucional para isso - em razão de uma escolha política. A trivialização da violência corresponde, para Arendt, ao vazio de pensamento, onde a banalidade do mal se instala."

O que diremos nós a cerca dessas coisas...

"... e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do MAL" amém.

Alex Possati (reflexão)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Deus Me Livre de Mim




Deus me livre de mim,
Na emoção fingida, na razão metida, na fragilidade covarde.
Deus me livre de mim na perda de espaço, no fracasso da sorte, na exaustão da amizade.
Deus me livre de mim no abraço falso, no passo incerto, na presença ausente de um sorriso inútil.
Na soberba enrustida, no perdão barganhado, na exaltação acanhada de um clamor perdido
Na demagogia ensaiada, de palavras soltas, na presença de açoites, de amores escassos.
Deus me livre de mim, nas idéias tortas de um passado preso, que de solto busca o pensamento póstumo.
No tapa nas costas, na alegria da festa, na vitória alheia da felicidade do outro.
Deus me livre de mim, de minha perversidade oculta, do meu pecado íntimo, na minha busca cínica no livramento da culpa.
De tudo quanto trago, comigo guardado em tão pouco tempo, de mim mesmo trago.
No meu melhor momento quando esqueço que, embora tudo seja vaidade.
Preciso estar livre da liberdade que escraviza, da prisão que não prende.
No meu melhor ou pior momento,
Livra-me de mim, quando eu mais achar que não preciso.

Alex Possati (reflexão)