sexta-feira, 27 de maio de 2011

Devedor De Mim Mesmo


A quem devo questionar se não for a mim mesmo, a quem devo completar senão o que me falta de mim. De maneira que isso é meu dever de cada dia, na incumbência de se estar pleno e consciente de tudo que está dentro e fora, dentro da missão e da razão pela qual me torno cônscio do que falta. É apenas mais um dia, e ele é único, não tornará atrás. O que fica é sempre a sensação de estar devendo algo, nada material, nada físico, mas devendo algo que não tem valor cotado em lugar algum, ou a não sei quem, senão a mim e que é intrínseco para mim, mas adiante descubro que isso sim é conscientizar-se de que sou devedor de mim mesmo.

Alex Possati (reflexão)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Discernimento de Momento


"Existe uma grande diferença entre os pobres de espírito e os de espírito pobre, cabe a você o discernir ambos, pois fazendo isso, ganharás teu precioso tempo com os nobres de alma, determinando a tua própria direção no caminho que tens a percorrer."

Alex Possati (reflexão)

quinta-feira, 19 de maio de 2011

SINTONIZANDO


A vida, as escolhas, os projetos !.
O caminho, a estrada, a jornada !.
O pensamento, o sentimento, o entendimento!.
A busca, a procura, o sonho!.
As amizades, os amigos, os irmãos!.
O coração, a alma, o corpo...

Não há como ter bons ouvidos estando fora de sintonia, seja qual for a plataforma, nada é melhor que se esforçar para por as coisas no lugar, no dial certo, na marcação certa, sob medida, onde não haja mais ruídos, onde o "som" é perfeito, onde entendemos e somos entendidos, onde ouvimos com clareza e com a qualidade que os nossos ouvidos merecem. É tempo de SINTONIA.

Alex Possati ( reflexão )

Travessias

"Ali, logo ali, existe um lugar chamado saudade, que só de lembrar me dá saudade; do que foi, do que é, do que deixou de ser, do que jamais será, sempre sendo enquanto saudade houver pra sentir"

Alex Possati ( relfexão )


quarta-feira, 18 de maio de 2011

Nem Mais Nem Menos


Preciso ler mais,
Preciso entender mais,
Preciso buscar mais,
Preciso dizer mais,
Preciso ouvir mais...

Preciso cantar mais,
Preciso falar menos,
Preciso chorar menos,
Preciso dormir menos,
Preciso escutar menos...

Preciso abraçar mais,
Preciso correr menos,
Preciso precisar menos,
Preciso participar mais,
Preciso tanto de mais e de menos...

Só não sei precisamente se é nessa ordem,
Então preciso prever os riscos
De não ter sido preciso
No precioso tempo que tenho
Onde tudo isso acontece

Em tempo real e constante
Da minha inconstante caminhada
Na direção de mim mesmo
Onde as vezes não me encontro nunca...

Alex Possati (reflexão)

domingo, 8 de maio de 2011

Sujos (In) Mundos


Foto: A.P. / noite de sábado, 07 de maio - Lixão de Gramacho - Caxias - RJ


- É sopa tio?!

- O pão eu não peguei ainda...

- Tem guaraná?

- Quero mais um.

- Me dá um abraço?

- Posso pegar uma maçã?

- Tem mais banana?

- Tem brinquedo pra mim?

- Eu já peguei, não posso mentir!

- Posso levar um pra minha irmã?

- Minha mãe tá vindo aí!

- Já vão embora?

- Obrigado tio!

- Valeu hen!



segunda-feira, 2 de maio de 2011

Roupas Novas & Velhas Manias


Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

(Fernando Pessoa)

Penso nesse texto como a exata descrição do que compreendemos sobre nossos medos existenciais, os quais fazem-nos engessar diante de decisões e de atitudes que precisam ser tomadas diariamente. Todo tipo de medo tem, de certa forma, seus benefícios, porém alguns são realmente desastrosos, são os que nos deixam a tal margem, não nos permitindo ousar, crer, sonhar e acreditar que é possível mudar... de cor, de habitos, de forma, de estilo, de postura, de atitudes, de gostos e manias sem temer as circunstâncias disso, essa reflexão me deixa ciente que não basta ter vontade, é preciso mudar sempre e deixar a velha mania de achar que está bom do jeito que está.

Alex Possati (reflexão)