sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ano Novo de Novo!


Sinceramente encontro-me de forma meio saudosista nessa última sexta-feira de 2010, falo isso porque me reporto a quando era mais novo, e a espectativa da virada era de certa forma ansiosamente vibrante, e no vislumbre do passe de mágica, rompíamos mais um ano, o coração acelerava e tudo parecia se renovar. Hoje, a ambiência que em mim se acomoda é apenas a de mais uma eventualidade, é só mais um ano novo chegando de novo, mas é claro que se renovam as esperanças, a fé, os desejos de uma vida melhor e de um mundo melhor, mas amável. Contudo, hoje sou muito mais reservado, aida que dentro de mim haja esse sentimento saudoso, vivo na espectativa da esperança, da confiança e do desenrolar das coisas que para trás ficam, prossigo para o alvo, colhendo todos os frutos do que plantei, disso não posso esquecer, não vou mensurar o que foi o ano e seus acontecimentos, serão pra mim dias memoráveis, mas apenas quero continuar vivendo diante do imprevisível futuro, até que chegue mais um ano novo de novo. Que as retrospectivas de 2010 fiquem. PAZ! Felicidades abundantes em 2011.




Alex Possati (reflexão)

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Natal de Lixo No Luxo do Natal






Não há filosofia, religiosidade, argumento político ou ideológico que defina e construa um pensamento conclusivo do que vi e vivi no tempo em que estive no lixão de Gramacho. Calo-me diante da calamidade e da miséria que pude co-participar por alguns instantes. Imagens não tem cheiro, mas ao menos exalam algum sentido próximo da realidde, lamentemos e choremos diante do chorume fétido do que posso chamar de descaso do descaso do descaso humano. Feliz Natal para as crianças de gramacho? Ainda não, pois aguardam o lixo que vai chegar de nossas Ceias natalinas.


Alex Possati (reflexão)

sábado, 25 de dezembro de 2010

Noite Feliz Noite de Amor



Esse ano mais uma vez estivemos alí na Cinelândia, centro do rio, para celebrarmos o natal juntamente com aqueles que estão a margem do que chamamos de sociedade, já é o 4º ano do projeto, e o que ficou evidente foi a disposição e a voluntariedade de sempre, com o mesmo ânimo e motivação de quatro anos atrás, os voluntários deram um bom exemplo de dedicação e amor, junto ao propósito estabelecido, ou seja, SER FAMÍLIA DE ALGUÉM NA NOITE DE NATAL... E assim foi, uma noite feliz, uma noite de amor, certamente que o aniversariante da noite estava muito contente com tudo o que acontecia, o compartilhar, o sorrir, o abraçar, o ser um com alguém. Parabéns a todos quantos acreditaram na idéia de espalhar amor e semear solidariedade em mais uma noite de Natal na Cinelândia. Paz e Comunhão seria a canção que representaria o que foi o que vivemos ali.
Alex Possati (Reflexão)

Veja: http://ibbetania.com/hotsites/natal-na-cinelandia/sobre/

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Eu Comigo

Marquei um encontro comigo, alí naquele lugar, um encontro entre mim e eu, bastaram alguns segundos para perceber que tudo que posso chamar de relativo, subsiste nos minutos de reflexão desse encontro marcado nas alturas, em mais um momento de transcendência, de nostalgia, de glória, de extase, satisfação, angústia e paz.

Alex Possati (reflexão)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Sobre o Viver ou Sobreviver?


Essa sem dúvida é uma questão habitual, sutíl e que permeia nossos sentidos, e o meu sentido, da existência de algo que é para além da normalidade comum. Vivemos na incubência discreta de viver a vida da melhor maneira possível, no curso natural da vida, vitórias e derrotas em todas as áreas, nossos sentidos ficam aguçados para que cada dia seja composto de um enrredo de glórias e conquistas, quando no máximo ficamos satisfeitos se nada deu errado. No presente, vultos do futuro misturado a sombras do passado, da vida, da história, dos encontros. Um viva a sobrevivência do falar da vida, as vezes nostalgica, porém maravilhosa. Sobre o viver e sobreviver rompendo a cada instante a esfera de mais um dia.

Alex Possati (reflexão)

A-Quarela

"Eu e minha aquarela, e minha mazela, e o meu olhar pro meu avatar..."

Alex Possati (reflexão)