segunda-feira, 1 de julho de 2013

PROTEÇÃO



Paradoxalmente protejo-me no que me desagrada, no que me importuna e me desconforta, em tudo que me contraria o ser e a essência que foi construída em mim e por mim. Meus devaneios e minhas observações me aguçam a visão e me antecipam as meias-verdades, portanto na maioria das vezes e assertivamente previno-me do estado de frustração, evito-me no meu inconsciente ciente, desprendendo-me arrependo-me e envolvo-me de volta, lançando novamente a âncora para fincar meu porto seguro, aonde asseguro-me que estarei inevitavelmente protegido.

Alex Possati (reflexão)

Nenhum comentário: