sexta-feira, 15 de abril de 2011

Lições do Quadro Negro


Ainda tentado me livrar da tragédia, mas como existem coisas que precisam ser mastigadas e muito bem mastigadas, aqui estou eu, mais uma vez refletindo sobre os nossos dias maus, contextualizando cada detalhe desse quadro pintado de sangue e dor, onde se buscam heróis e culpados, onde todos são vítimas dos resíduos simbólicos que somos expostos a cada instante.

Eu sempre estudei em escola pública, mas dessa vez não me aprofundarei na tragédia em si, mas no que quero chamar de meta-tragédia, ou seja, a tragédia por trás da tragédia, aonde sorrateiramente e covardemente estão de fato os executores de vergonhosas atitudes e posturas, relacionadas as pequenas vítimas diárias de nossos agitados, porém anestesiados dias de morte em vida.

Pois bem, vamos parar pra pensar nas leis que não são cumpridas, nas verbas e nos projetos que não saem do papel e que, por culpa disso, milhares e milhares de BRASILEIRINHOS são prejudicados pela omissão, são excluídos dos benefícios que lhes são de direito, e por conta disso vivem a margem da sociedade "evoluída", dos avanços e do progresso de toda ordem, seja ele social, cultural ou econômico. No entanto, esse "massacre" in-visível acontece todos os dias, todos as horas, em todas as escolas públicas espalhadas pelo nosso imenso Brasil. O problema é que essas pequenas mortes não entram nas estatísticas, não são estampadas em jornais, nem tampouco mobilizam pessoas a lutar contra esse homicídio educacional que perpassa de geração a geração.

Tássio da Silveira é mais ou menos exceção a regra, poderíamos chamá-la de melhor entre as piores da região, porém, ainda sim existem milhares e milhares de escolas abandonadas, crianças sem recursos, ensinos atrasados, despreparo, descaso, falta de planejamento, péssimos salários, 0% de investimento em progresso. Esse sim é o nosso real estado de abandono, de massacre silencioso, sem fleches, porém, que tem matado esperanças, exterminados sonhos, dilacerado projetos, e perpetuando uma geração de mortos-vivos, que ocuparão os lugares do proletariado, que servirão de zumbis metódicos no ir e vir, esses certamente não saberemos, não serão contados entre os "mortos", são apenas vítimas de "Wellingtons Políticos", de "Psicopatas Engravatados", de carrascos que levarão para história , as marcas de uma geração paralisada, que não compreende nada, que não sabe de nada, que não busca mais nada, pois a vida lhes fora roubada, são saqueados em seus melhores dias, por aqueles que deveriam honrar seus compromissos, mas se omitem e se escondem em seus próprios interesses.

Salve os BRASILEIRINHOS, da Tássio e de TODAS as escolas públicas, vítimas desse HOLOCAUSTO MORAL a que são submetidos todos os dias, a nós, cabe o árduo e cansativo gesto de esperança de que tudo um dia possa mudar, quando talvez, algum sobrevivente dessa chacina chegar no poder e honrar com dignidade as almas, os sonhos e a esperança dos que ainda acreditam que tudo pode ser diferente e passar uma borracha nesse quadro negro da nossa história.

Alex Possati (reflexão)

Nenhum comentário: