segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Meus Lampejos e Vicissitudes


Meu riso as vezes tímido, minha fala embargada, minha lingua contida e meus marasmos...esses são meus repentinos lampejos diários no meu diário de bordo, das minhas viages pra dentro da terra, do pó, do barro. Viva a solitude! Vamos cantar uma canção, vamos dançar uma valsa, vamos por os pés no chão e voar até as alturas mais baixas talvez, até as distâncias mais próximas, quem sabe, vamos comemorar as vicissitudes nossas de cada dia, e aí sim, basta cada dia o seu próprio mal.

Alex Possati (reflexão)

Nenhum comentário: