segunda-feira, 9 de março de 2015

A Praça




Venho aqui, periodicamente a esta praça, consultar meu coração, a procura de algo que me dê ao menos um retorno, uma notícia, um sinal de vida... nada obtenho, nada encontro, só ouço o silêncio, você nada diz. Mesmo assim, volto todos os dias, ainda que o tempo passe lentamente, mesmo com a praça vazia, me pego falando comigo mesmo, um monólogo entre eu e mim.

Um comentário:

Antônio Moura disse...

Excelente! Seus textos são objetivos, bem estruturados e agradáveis de se ler. Sucesso!