domingo, 4 de janeiro de 2015

De Cada Vez, Um Dia Talvez


De cada vez, um dia talvez, eu deixe o tempo não mas me esmagar, com a bagagem que carrego no peito, no reflexo de todos os dias, dos espaços ocupados que por vez faz doer no silêncio, mesmo que a ansiedade de procurar tuas frases, tuas palavras, tuas respostas, teus sinais e não encontrá-los quando acho que mais preciso, e percebo que não tenho. [a.p]


Nenhum comentário: